Louvre e Algumas Imperdíveis Obras

O Louvre é um dos maiores e mais importantes museus do mundo. É impossível um consenso sobre quais são as suas imperdíveis obras,  já que a percepção da arte é muito particular. Parada obrigatória para quem vai a Paris, o ideal é reservar, ao menos, 4 horas para a sua visitação, não sendo, no entanto, um local de apenas uma incursão.

As linhas do metrô de números 1 e 7, com descidas nas estações Palais Royal/Musée du Louvre, servem o Museu que abre, diariamente (exceto às terças-feiras), de 9 às 18 horas – às quartas e sextas-feiras funciona até as 22 horas e nos primeiros domingos de cada mês a entrada é gratuita. O Louvre é um dos locais de maior aglomeração de pessoas, em Paris, com gigantescas filas para a compra de ingressos ou para a entrada. Uma ótima dica é comprar os ingressos na loja da Fnac, da rua Champs Elysées, sem filas (podendo ser por cartão de crédito). A seguir, enumero algumas de suas incontáveis obras que mais me chamaram a atenção, em diversas visitas que fiz ao grande Templo da Arte.

Inicialmente, o próprio prédio do Museu é, simplesmente, fascinante. O Louvre foi construído em 1190, por Felipe II, para ser uma fortaleza contra os ataques dos Vinkings a Paris. Foi somente a partir do século XVI, nos reinados de Luis XIII e Luis XIV, que o Museu foi ampliado, ficando com a aparência que conhecemos atualmente. O edifício impressiona pela imponência, riqueza de detalhes e beleza. Em 1981, o Plano de Modernização do Louvre definiu a construção de uma nova entrada para os seus visitantes. Foi erguida, então, a Pirâmide de Vidro, projetada pelo arquiteto americano I. M. Pei, que permite, também, melhor iluminação ao subsolo do Museu.

No interior do Louvre, encontramos salões e corredores divididos nas Alas Sully, Denon e Richelieu. Ótimos cafés e restaurantes, para uma pausa e descanso, divide o espaço com as obras de arte. Recomendo a visita às lojas de souveniers que vendem artigos relacionados ao acervo e ao próprio Museu.

 

Belíssima fachada do Musée du Louvre, Paris, França

 

Fachada do Louvre e a entrada pela Pirâmide de Vidro

 

Detalhes da Pirâmide de Vidro do Museu do Louvre, Paris

 

Detalhes internos da Pirâmide de Vidro

 

Interior do Louvre e algumas de suas inúmeras obras de arte

 

Esculturas no interior do Museu do Louvre, em Paris

 

A Pirâmide Invertida, no interior do Museu do Louvre

 

Lindas esculturas romanas encantam os turistas do Louvre

 

Interior do Louvre

 

Mapa do Musée du Louvre

A Vitória Alada da Samotrácia é uma bela escultura do século 2 AC e está exposta ao final da escadaria que dá acesso à Ala Sully. Foi esculpida para ser posta na proa de um navio de guerra e em comemoração à vitória naval de seu povo. A escultura, em blocos de mármore, foi descoberta pelo arqueólogo francês Charles Champoiseau, na ilha de Samotrácia, e levada para o Louvre em 1864, onde foi remontada. A sua cabeça, no entanto, nunca foi encontrada.

 

Vitória Alada da Samotrácia

O Escriba Sentado (na imagem seguinte) é uma escultura do Antigo Egito (datado de 2500 AC). Foi descoberto em Saqquara, em 1850.

 

O Escriba Sentado

A próxima escultura, A Pedra de Hamurabi, é uma das obras que mais me emociona de todo o Museu. Nela está gravado o Código de Hamurabi: um conjunto de leis e posturas da Mesopotâmia do século XVIII AC. O código é baseado na lei de talião (olho por olho, dente por dente) e foi descoberto em 1901 ,na região do Irã.

 

Código de Hamurabi

As Bodas de Canaã é um dos maiores quadros do Louvre e fica bem em frente ao quadro da Monalisa, na Ala Denon. Retrata um casamento, no qual Jesus fez um dos milagres, transformando água em vinho. É um quadro repleto de detalhes, como o cachorrinho andando por cima da mesa.

 

As Bodas de Canaã

 

As Bodas de Canaã

A belíssima Monalisa, de Leonardo Da Vinci, é um dos mais famosos, valiosos e enigmáticos quadros do mundo. Está exposta na Ala Denon e, normalmente, fica rodeada por centenas de turistas. O quadro é relativamente pequeno, está protegido por um vidro e é proibido aproximar-se muito dele. Recomendo visitá-lo logo ao se chegar ao Louvre, para depois percorrer o restante do Museu.

 

A Monalisa, de Da Vinci

 

Todos querem registrar o momento da visita à Monalisa!

A Esfinge de Tanis é um monumento com quase 5 metros de altura e foi encontrada, em 1825, na cidade de Tanis, antiga capital do Egito. Está exposta na Ala Sully. Todo o acervo de sarcófagos, múmias e objetos egípcios do Louvre é fascinante e imperdível.

 

A Esfinge de Tanis

 

Uma múmia do Egito antigo

 

Coleção de Sarcófagos do antigo Egito, no Museu do Louvre, Paris

 

Arte egípcia antiga

A Vênus de Milo é uma escultura, do século 2 AC, encontrada na Grécia e representava o ideal de beleza de sua época. Foi descoberta em 1820 e está exposta na Ala Sully.

 

A Vênus de Milo

Impressionante, igualmente, é a escultura de Antoine le Moiturier, o Túmulo de Philippe Pot. A obra é tão perfeita que parece que as encapuzadas figuras vivem.

 

O Túmulo de Philippe Pot

 

Artistas copiando obras do Museu do Louvre, em Paris, França

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *