Museu do Vasa: a História de um Naufrágio

O Museu do Vasa, localizado em Estocolmo, é o mais visitado em toda a Escandinávia e nele está exposto, por inteiro, o navio sueco Vasa do século XVII.

O Rei Gustavo Adolfo II, da Suécia, mandou construir esse navio de guerra para que fosse o mais potente e temível da época. Além disso, ordenou que o navio fosse, também, o mais bonito.

Em 10 de agosto de 1628, a população se reuniu para ver o navio zarpar, pela primeira vez. Logo após alguns minutos em que deixou o porto, enquanto a população ainda festejava, o Vasa tombou e naufragou, carregado de armas e com toda a tripulação. Graças à temperatura gelada do Mar Báltico e das suas características salobras, as peças do navio ficaram muito conservadas.

Três séculos depois, o Vasa foi resgatado do fundo do mar e, através de uma operação extraordinária, foi reconstruído e colocado em um Museu feito só para ele. É uma atração imperdível!

O Museu está localizado a 30 minutos de caminhada da Estação Central. Duas linhas de ônibus param na porta: a Nr7 e Nr69. Possui visitas guiadas em inglês, restaurante e estacionamento. Os ingressos podem ser adquiridos, facilmente, no local. O Museu abre das 10 horas às 17 horas.

 

Fachada do Museu do Vasa

O Museu possui quatro andares com passarelas que permitem aos visitantes vejam o navio do casco até o mastro. Além do navio, estão expostos objetos de artilharia, ferramentas, utensílios de cozinha, dentre outros.

 

Vasa

O navio impressiona pela beleza e riqueza dos detalhes e figuras esculpidas no casco. Possui três mastros e dez velas, atingindo quase 70 metros da proa à popa.

 

Navio Vasa

O Museu adota condições especiais de iluminação,umidade e temperatura para garantir a continuidade da preservação.

 

Detalhes do navio

 

Detalhes do navio

 

Detalhes do Vasa

O Vasa naufragou com cerca de 400 tripulantes. Algumas ossadas estão expostas e, através da utilização de modernas técnicas de computação, foram reconstruídos moldes das faces de alguns tripulantes.

 

Face reconstruída de um tripulante que morreu no naufrágio do navio Vasa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *